# OpenSubtitles2011/gl/1982/33375/3989186_1of1.xml.gz
# OpenSubtitles2011/pt_br/1982/33375/3430957_1of1.xml.gz


(src)="1"> Non volverei á escola .
(trg)="1"> Não volto à escola ...

(src)="2"> E logo ?
(trg)="2"> Porquê ?

(src)="3"> Porque na escola apréndenme cousas que non sei !
(trg)="3"> Porque na escola me ensinam Coisas que eu não sei

(src)="4"> Anda !
(trg)="4"> Ora essa !

(src)="5"> É cativo , moreno , con lentes .
(trg)="5"> Um moreninho .
(trg)="6"> Sete anos , óculos , não chama muito a atenção .

(src)="6"> Ten sete anos .

(src)="7"> Non , non vin Ernesto ningún ..
(trg)="7"> Não vejo quem é este Ernesto .

(src)="8"> Ninguén o ve .
(trg)="8"> Ninguém o vê .

(src)="9"> É coma se non existise .
(trg)="9"> Uma mosca morta !

(src)="10"> Tráedemo .
(trg)="10"> Tragam- no aqui .

(src)="11"> É vostede Ernesto ?
(trg)="11"> É o Ernesto ?

(src)="12"> Son .
(trg)="12"> Exactamente .

(src)="13"> Home e logo !
(trg)="13"> De facto , de facto !

(src)="14"> Non o recoñecía !
(trg)="14"> Não o reconheço .

(src)="15"> Eu a vostede si .
(trg)="15"> Eu , sim .

(src)="16"> Ve como é ?
(trg)="16"> Vê como ele é ...

(src)="17"> Daquela , Ernesto , non quere vostede que lle aprendan ?
(trg)="17"> Então ?
(trg)="18"> Recusa- se a instruir- se , menino Ernesto ?

(src)="18"> Iso é .
(trg)="19"> Exactamente .

(src)="19"> - Por que ?
(trg)="20"> E porquê ?

(src)="20"> - Porque aprender cousas leva tempo , moito .
(trg)="21"> - Por isto já durar há muito tempo .

(src)="21"> - Pero cómpre ir á escola !
(trg)="22"> A instrução é obrigatória .

(src)="22"> - Non en todas partes .
(trg)="23"> - Não em toda a parte .

(src)="23"> Estamos aquí , estamos aquí .
(trg)="24"> Aqui , estamos aqui .

(src)="24"> Aquí estamos aquí , e non en todas partes .
(trg)="25"> E aqui não é toda a parte .

(src)="25"> Si .
(trg)="26"> É .

(src)="26"> E quen é ese ?
(trg)="27"> E este aqui ?
(trg)="28"> Quem é ?

(src)="27"> Un cabaleiro .
(trg)="29"> Um gajo .

(src)="28"> E aquilo ?
(trg)="30"> E isto ?

(src)="29"> Dinos que é , Ernestiño .
(src)="30"> Fai o favor .
(trg)="31"> Pelo menos isto diz o que é , Ernestino .

(src)="31"> Un crime .
(trg)="32"> Um crime .

(src)="32"> E isto que é , unha bóla de fútbol , unha pataca ?
(trg)="33"> E isto , é uma bola de futebol ?
(trg)="34"> Uma batata ?

(src)="33"> É unha bóla de fútbol , unha pataca e a Terra .
(trg)="35"> É uma bola de futebol , uma batata e a Terra .

(src)="34"> Unha alpabarda é o que vas ser !
(trg)="36"> Um cretino !
(trg)="37"> É o que ele vai ser .

(src)="35"> - Non , déixao estar .
(trg)="38"> Não te preocupes .

(src)="36"> - Pero é unha mágoa .
(trg)="39"> - Mas é pena .

(src)="37"> Non , para nada .
(trg)="40"> Não é nada .

(src)="38"> - Pensas así ?
(trg)="41"> Parece- te ?

(src)="39"> - Penso .
(trg)="42"> - Claro .

(src)="40"> É ben curioso ...
(trg)="43"> É estranho ...

(src)="41"> Que nos cómpre facer ?
(trg)="44"> Que havemos de fazer ?

(src)="42"> Sete , temos sete .
(trg)="45"> Sete , nós temos sete .

(src)="43"> - Un caso único ...
(trg)="46"> Um caso único ...

(src)="44"> - Sempre é así .
(trg)="47"> - Já é alguma coisa .

(src)="45"> Daquela , velaquí un picariño que só quere aprender o que xa sabe .
(trg)="48"> Logo , estamos diante de um miúdo que só quer aprender aquilo que já sabe .

(src)="46"> Iso .
(trg)="49"> É isso mesmo .

(src)="47"> Teño sete e xa me abondan .
(trg)="50"> Eu tenho sete e já estou farta .

(src)="48"> Dinos logo , Ernesto como pensas aprender o que xa sabes ?
(trg)="51"> Mas como é que o menino Ernesto pensa aprender aquilo que ainda não sabe ?

(src)="49"> E velaí .
(trg)="52"> Ena , é verdade !

(src)="50"> Dei- xán- do- me- estar .
(trg)="53"> Rachachando .

(src)="51"> - Que demo é isto ?
(trg)="54"> Que é isso ?

(src)="52"> - Un método novo .
(trg)="55"> - Um novo método .

(src)="53"> Manda carallo !
(trg)="56"> Incholente !

(src)="54"> - Non entendo .
(trg)="57"> Não percebo nada .

(src)="55"> - Perdinme .
(trg)="58"> - Perdi o fio .

(src)="56"> E logo que é o que xa sabe Ernesto ?
(trg)="59"> E que é que o menino Ernesto já sabe ?

(src)="57"> Nada , non hai máis ca velo .
(trg)="60"> Nada , basta olhar para ele .

(src)="58"> E aínda por riba é birollo .
(trg)="61"> E ainda por cima , é completamente pitosga .

(src)="59"> Eu diría que che preguntei algo .
(trg)="62"> Parece- me que fiz uma pergunta ?

(src)="60"> Que sabes , Ernesto ?
(trg)="63"> Que sabe o menino Ernesto ?

(src)="61"> Sei ...
(trg)="64"> Eu sei .

(src)="62"> Nin o toque , que lle arreo .
(trg)="65"> Se lhe tocar , leva .

(src)="63"> Ben .
(trg)="66"> Muito bem .

(src)="64"> Mais por que , Ernestiño , rexeitas aprender o que aínda non sabes ?
(trg)="67"> Mas porque se recusa o menino Ernesto a aprender aquilo que ainda não sabe ?

(src)="65"> Por que ?
(trg)="68"> Porquê ?

(src)="66"> Contesta se me entendiches , por que ?
(trg)="69"> Responde , se percebeste ; porquê ?

(src)="67"> Porque non paga a pena .
(trg)="70"> Porque não vale a pena !

(src)="68"> Ao cabo ...
(trg)="71"> No fundo ...

(src)="69"> - Ao cabo do cabo .
(trg)="72"> No fundo do fundo ...

(src)="70"> - Ao cabo do cabo ...
(trg)="73"> - No fundo do fundo ...

(src)="71"> Mais como aprenderá Ernesto a ler a escribir , a contar , nestas condicións ?
(trg)="74"> Mas então como é que o Ernesto vai aprender a ler , a escrever , a contar , nestas condições ?

(src)="72"> Xa o saberei .
(trg)="75"> Hei de saber .

(src)="73"> Como ?
(trg)="76"> Como ?

(src)="74"> I- ne- vi- ta- bel- men- te .
(trg)="77"> I- ne- vi- ta- vel- mente .

(src)="75"> Seríache mellor coidar o que dis , porque che ha dar mágoa , Ernesto .
(trg)="78"> Cuidado com o que diz ou vou zangar- me , menino Ernesto .

(src)="76"> Non me pon medo .
(trg)="79"> Não vai nada , acalme- se .

(src)="77"> Vou para a casa .
(trg)="80"> Vou para casa .

(src)="78"> E ben ?
(trg)="81"> Então ?

(src)="79"> Agora que marchou , que pensa de todo ?
(trg)="82"> Agora que ele já se foi , qual é a sua opinião ?

(src)="80"> - Con estes casos un non conta .
(trg)="83"> É um caso imprevisto .

(src)="81"> - E logo que ?
(trg)="84"> - Mas fora isso ?

(src)="82"> Que nos cómpre ?
(trg)="85"> Que havemos de fazer dele ?

(src)="83"> Terá un día de aprender a ler ?
(trg)="86"> Aquilo vai mesmo saber ler , um dia ?

(src)="84"> Ir e volver ?
(trg)="87"> Conduzir e não conduzir ?

(src)="85"> Beber e comer ?
(trg)="88"> Beber e comer ?

(src)="86"> Traballar , traballar ?
(trg)="89"> Trabalhar , trabalhar ?

(src)="87"> Trabucarse e todo o demais ?
(trg)="90"> Enganar- se e não se enganar , e tudo o mais ?

(src)="88"> Por desgraza , terá .
(trg)="91"> Infelizmente , sim .

# OpenSubtitles2011/gl/1928/7721/3516718_1of1.xml.gz
# OpenSubtitles2011/pt_br/1928/7721/3690880_1of1.xml.gz


(src)="1"> Un filme de JEAN EPSTEIN
(trg)="1"> Um filme de JEAN EPSTEIN

(src)="2"> A CAÍDA DA CASA USHER
(trg)="2"> A QUEDA DA CASA DE USHER

(src)="3"> Baseado na obra de Edgar Allan Poe
(trg)="3"> Baseado na obra de Edgar Allan Poe

(src)="4"> O meu único e mellor amigo ... ... estou doente e preocupado ... ... á miña muller Madeline vénlle a morte polo camiño ... ... e despois hame de tocar a min ... ... prégovos ... ... que veñades na nosa axuda ... ... Roderick Usher .
(trg)="4"> O meu único e melhor amigo ... ... estou doente e preocupado ... ... a minha mulher Madeline tem a morte encaminhada ... ... e depois há de me tocar ... ... peço- te ... ... que venhas em nossa ajuda ... ... Roderick Usher .

(src)="5"> " Terían un coche para levarma esta mesma tarde a Usher ? "
(trg)="5"> " Teriam um coche para levar- me esta mesma tarde a Usher ? "

(src)="6"> Nesta mansión ameazando ruína , Sir Roderick tiña estrañamente recluída á súa muller Madeline , dominándoa co seu nerviosismo tiránico .
(trg)="6"> Nesta mansão em ruínas , Sir Roderick tinha estranhamente reclusa sua mulher Madeline , dominando- a com seu nervosismo tirânico .

(src)="7"> " Ah , non !
(trg)="7"> " Ah , não !

(src)="8"> Nin por todo o ouro da súa Señoría ... ... faría dar un paso máis ao meu cabalo ! "
(trg)="8"> Nem por todo o ouro de sua senhoria ... ... faria dar um passo a mais em meu cavalo ! "

(src)="9"> A agoniante melancolía que envolvía Usher semellaba sobrenatural .
(trg)="9"> A agoniante melancolia que envolvia Usher parecia sobrenatural .

(src)="10"> " O médico "
(trg)="10"> " O médico "

(src)="11"> O mal de Lady Madeline , esposa de Roderick Usher , ... mofábase da ciencia do seu médico .
(trg)="11"> O mal de Lady Madeline , esposa de Roderick Usher , ... não dava a mínima para a ciência do seu médico .

(src)="12"> Unha curiosa herdanza quería que tódolos Usher ... ... se botaran con paixón a pinta- lo retrato das súas mulleres .
(trg)="12"> Uma curiosa herança queria que todos os Usher ... ... se ponham com paixão a pintar retratos de suas mulheres .

(src)="13"> " É aí onde vive ! "
(trg)="13"> " É aí onde vive ! "